Equilíbrio para Mulheres Empreendedoras

Para estrear aqui no blog, escolhi um tema desafiador para quem é mulher, mãe e empreendedora. Começo esse texto com uma palavra mágica: Equilíbrio! Algo tão procurado pelas mulheres e o maior desafio das mães modernas.

Olá empreendedores, que alegria estar com vocês aqui.

Para estrear aqui no blog, escolhi um tema desafiador para quem é mulher, mãe e empreendedora. Começo esse texto com uma palavra mágica: Equilíbrio! Algo tão procurado pelas mulheres e o maior desafio das mães modernas.

Com as mudanças de costumes da sociedade, ser mãe atualmente significa lidar com muitas situações que as mães do passado não enfrentavam: cada vez mais multitarefas, a mulher de hoje é profissional, esposa, mãe, dona de casa e tem uma vida social ativa. O grande desafio é desempenhar de forma equilibrada tantas atividades. E embora não exista uma receita mágica, sabemos que muitas mulheres já chegaram lá.

Quando a mulher escolhe, ou precisa, conciliar essas duas atividades em sua vida ela tem que vencer três grandes desafios:

Vencer o sentimento de culpa

O simples fato de deixar o filho com alguém ou na escolinha enche a mulher de culpa. Para ser mãe e profissional você precisará passar por muitas situações que não gostaria, mas é preciso entender que são necessárias e que você não deve se culpar por isso.

Gerir bem o tempo

Administrar o tempo é fundamental para conciliar a vida de mãe e profissional. É interessante ter uma agenda para controlar todas as tarefas, e sempre que possível se organize para antecipar suas atividades. Trabalhe com prioridades.

Descentralizar as atividades

Quanto mais tarefas você centralizar, menos tempo terá.

Para ajudá-las, selecionei algumas sugestões que lhe auxiliarão nessa trajetória de ser mãe e ao mesmo tempo construir uma trajetória profissional bem-sucedida.

  • Nunca anular-se. Não esqueça de si própria e de suas vontades. Você precisa estar bem para que seu filho(a) fique bem também.
  • Pratique o desapego. Acredite: seu filho(a) não vai te amar menos se você deixá-lo conviver com outras pessoas. Isso é bom para a socialização dele(a).
  • Traga seu companheiro (e/ou pessoas de confiança) para junto de você. Deixe que ele participe de todos os momentos. Que vivencie o cuidado com a criança. Deixe que ele pratique, mesmo que do jeito dele.
  • Dedique tempo de qualidade ao seu filho, isso é muito mais importante que a quantidade. O importante é estar realmente presente com qualidade e participar da vida dele(a), mesmo que você ache que não é o suficiente.

E por último, lembre-se: aceite que você não é uma super-mulher. Você será a melhor mãe e a melhor profissional que conseguir. E por mais difícil que seja, com amor e disposição tudo é possível!

Andréia Monteiro. Empreendedora e palestrante. Referência em empreendedorismo para mulheres em Joinville. Pós-graduanda em Empreendedorismo e Gestão pela PUCPR.